sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Imprevistos: Pedro fará uma cirurgia


Hoje de madrugada (aprox. 1am) tivemos uma notícia que nos abalou: o esôfago do Pedrinho não se comunica com o estômago. Fiquei muito mal, questionando Deus, pensando milhares de bobeiras. Visitamos ele na UTI e vimos que, apesar desta má formação, ele apresenta ótimo estado de saúde, respira bem, o coração está funcionando bem e tem os reflexos normais.

Pela manhã, depois de ficar um bom tempo com ele na UTI, fiquei mais tranquila. Ele está incrivelmente bem! Ele se acalma ao ouvir a minha voz! Muito lindinho! Com o passar das horas e com as visitas ao Pedrinho, fui ficando cada vez mais em paz e mais tranquila.

A cirurgia dele foi agendada para domingo, às 9 da manhã. Ele já fez todos os exames pré-cirurgia. Vou saber o resultado do ultrassom, que vai determinar se fará uma ou duas cirurgias, apenas amanhã às 10am.

E a virada para 2011 será um pouco diferente: entraremos o ano na UTI, eu e meu marido de mãos dadas com o Pedrinho, na incubadora!

Apesar das "surpresas" estamos muito felizes e apaixonados por esse menino lindo que Deus permitiu que fosse nosso filho e temos fé nEle que tudo dará certo e Ele não nos desamparará!

Feliz 2011 a todos!

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

E o Pedro nasceu!

Hoje pela manhã tinha agendado ultrassom e consulta. Meu marido, pela primeira vez, me acompanhou na consulta. E tomamos um susto! O Pedro teria que nascer hoje ou amanhã. Teve retardo do crescimento intrauterino e se permanecesse no útero correria riscos.

Então, cá estou eu, no hospital, curtindo as delícias do pós-parto (cesárea) enquanto meu pequeno está na UTI devido ao baixo peso (nasceu com 2080g) e por ter tido uma pequena dificuldade para respirar. Mas, graças a Deus que faz tudo certo, ele passa bem!

O jeito, é aproveitar esses dias no quarto para me recuparar da cirurgia e estar nova em folha para dar toda atenção ao Pedro. Descansar o corpo porque a mente acho que ficará a mil mesmo, apesar de eu estar bem tranquila!

Assim que a cirurgia acabou, fiquei muito impaciente para logo ir para o quarto. Tanto que na sala do pós-anestesia pedi um papel para escrever um post. Precisava fazer algo de útil! Cheguei no quarto e queria falar bastante, interagir com as visitas, mas o corte limita bastante.

Agora estou, além de tranquila, calma também. Todos já foram embora, só estou eu e meu marido, que felizmente vai poder ficar comigo todo esse tempo no hospital e depois mais um mês em casa, ajudando a cuidar do Pedro.

Para finalizar, só queria lembrar que o Pedro é lindinho demais da conta!!!! Um pequenininho muito gostoso que já me deu saudades! Vejam vocês mesmos na fotinho logo aqui!!!


Pedro: 30/12/2010, 2,08Kg 43cm

Visita à psiquiatra - rejeição ou saco cheio?!

Breve relato!

Ontem, dia 29/12, passei na psiquiatra. Cheguei um pouco aflita e com medo de ouvir ela confirmar os meus medos. Tive sorte de conseguir este horário. Contei toda história para ela e ela me explicou que a depressão pós-parto não se manifestaria desta maneira e disse que eu fui a paciente dela grávida bipolar mais tranquila. A conclusão foi que estou apenas de saco cheio! Ha!!!

Serei breve neste post, porque preciso fazer outro mais importante daqui a pouco!

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Rejeição da barriga - um desabafo

Tive um ótimo Natal em família. Além de ter passado esta data com pessoas que amo muito, me diverti muito (tive até crise de riso), comi bem, conversei bastante, abracei, beijei e voltei para a minha casa, com meu marido, meu filho na barriga satisfeita e feliz...mas, nem tudo são flores.

No dia seguinte, fomos almoçar os "restos" da ceia, na minha avó. Meus tios e meus primos não participam do almoço do dia 25, mas meu tio avô vai com sua esposa e, às vezes, seus filhos, e ele tem muuuita história boa pra contar! Então, também seria ótima a continuação do Natal, se não fosse a ressaca emocional-psicológica.

Acho que já acordei no dia 25 apática e intolerante. Fiquei com um péssimo humor (óbvio), que foi só piorando com o passar do dia, mesmo com a boa companhia, boa comida e ótimo papo. Cheguei em casa querendo ficar muito quieta. Quando fui deitar, tive a pior sensação e pensamento da gravidez inteira. Sinto vergonha de contar isso aqui, mas não posso só contar as coisas "fáceis" da bipolaridade. Olhei a minha barriga e queria que ela não fizesse mais parte de mim.

Senti uma aflição terrível por estar carregando meu filho na minha barriga. Pedi a Deus que a bolsa estourasse ou que eu pudesse fazer uma cesárea naquela mesma madrugada. Mas, ao mesmo tempo, eu tinha uma grande esperança de dormir e acordar sem resquícios desta "rejeição".

Acordei melhor, quase que achando uma grande bobeira todos os sentimentos da noite anterior. Mas ainda sentindo de leve essa aflição. E agora, tenho muito mais medo de ter depressão pós-parto e de rejeitar meu filho. Um medo enorme de não amá-lo como deveria, de não ter afeição por ele, de não querer ser mãe. Me sinto péssima só de esboçar estas ideias aqui. Me sinto anormal, me sinto merecedora do mesmo destino das bruxas na antiguidade.

Até agora, não havia contado isso para ninguém. Nem mesmo para o meu marido. Só relatei no meu diário da gravidez de forma resumida. E ainda não quero falar nada. Quero deixar passar como se não tivesse existido.

Espero muito que isso realmente passe e que o Pedro nasça logo e que eu perceba que isso foi apenas uma divagação sem sentido.


ps: Depois de ter escrito o post fiquei me sentindo pior. Foi trazer à tona algo que já estava sendo guardado. Mas, criei coragem e conversei com o meu marido sobre essas "novas emoções". Foi bom ter feito isso. É bom colocar para fora e compartilhar com ele coisas tão importantes sobre nosso maior projeto, o Pedro. Estou mais calma agora, contando com Deus para nos iluminar e contando que a psiquiatra esteja amanhã no consultório para me orientar. Pensei até em fazer cesárea, se for melhor que o Pedro esteja logo fora da barriga. Vamos ver o que a psiquiatra e a obstetra (irei dia 30) falam.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Notícias sobre a Taly Watanabe do Blog Mamãe de Primeira Viagem 2010

Hoje tive a feliz notícia de que a Taly já saiu do CTI (centro de terapia intesiva). Ela está na enfermaria, acompanhada do marido e da filha recém nascida, Emily (Bombom!). Pede a todos que continuem orando por ela, que felizmente não corre mais risco de morte, porém, sua recuperação ainda é delicada. Pede também que orem para que ela consiga pelo convênio as condições de ter a alimentação parenteral que precisará assim que tiver alta. As visitas são controladas para prevenir infecções. Os familiares estão se alternando para fazer companhia para ela no hospital.

Tomei a liberdade de publicar estas informações pois sei que assim como ela é querida para mim, apesar de apenas conhecê-la no mundo virtual, também é querida a muitas outras blogueiras!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

A fase chata da gravidez + pedrinhas saindo dos rins

Fiquei um tempinho sem dar muitas notícias. Nada de mais aconteceu, talvez uma junção de fatores bobos! Tenho ficado a maior parte dos dias em casa. Às vezes, vou para o escritório dar uma geral nas contas, imprimir unss comprovantes, limpar a minha mesa (todos adoram largar coisas por lá!). E quando fico em casa, crio raízes no sofá. Parece que "sumo" do meu corpo e nem consigo me mexer. Dá preguiça até para buscar um copo de água logo ali! E esse calor, aff, continua irritando um pouco. Além do calor, em frente à minha casa tem uma obra, daquelas bem legais com pedreiros olhando dentro do seu apartamento e uma sinfonia de britadeiras que dura umas 12 horas. Então, imaginem, cortinas fechadas, e às vezes, para ter um pouco de paz, ventilador ligado e todas as janelas fechadas.

Com relação ao meu estado de humor, sem querer discutir causas, tenho me sentido ainda um pouco apática e agora, voltei a ficar com a tolerância e a paciência no limite. Assim que eu acabar de escrever aqui, vou organizar umas bagunças que fiz no quarto do Pedro e no meu. Isso me ajuda bastante, parece que estou organizando o meu cérebro junto! Mas ontem visitei a homeopata e ela disse que essa realmente é a pior fase da gestação. Ela me passou meu remédio de fundo (é um remédio que ajuda a reequilibrar tudo) e passou outro para o rim. Ah! Sim! Esta é a novidade.

Em setembro tive cólicas fortes e fui para o pronto-socorro. Pra variar, mais uma pedrinha tinha aparecido no meu rim, e já estava no canalzinho querendo sair, por isso a dor. Mas a pedra tinha ficado quietinha até semana passada. Quarta e quinta tive cólica forte. Fui para o hospital, mas ninguém lembrou de investigar os rins. Sexta fui na obstetra, e levei meus exames (sangue, urina e afins). E, batata! Deu "traços" de sangue na urina, o que confirma que as pedrinhas realmente resolveram se movimentar e machucaram um pouco o canal. Domingo a cólica voltou. Nem a dupla Tylenol 750 e Buscopan adiantaram. O jeito foi ficar na cama esperando a dor passar.

Já estou até me acostumando com essas cólicas. Assim como me acostumei com as contrações de treinamento, que estão a todo vapor! Mas ainda fica aquela famosa dúvida no ar: O que vou sentir quando estiver em trabalho de parto? Tenho pensado muito nisso e em me preparar de alguma forma para o parto normal. Procurei cursos, mas, como estamos no final-de-ano, as agendas de cursos específico assim, já fecharam. Agora, só em janeiro... Até lá, aprendo na prática!!! Se alguém souber de algo legal sobre parto normal, me avisem!

Fucei um pouco na página do "Grupo de Apoio à Maternidade Ativa" (GAMA). Eles tem cursos interessantes. Queria visitá-los. Eles fazem um trabalho de orientação bem atrativo para gestantes, mães com dificuldade para amamentar e alguma coisa específica também para criança. Gostei também dos vídeos que eles indicam sobre parto normal. Me acabei de chorar assistindo! Isso é outra coisa que esqueci, estou chorona, sem motivo.

Estou até perdendo um pouco o fio da meada deste texto... então, vou logo ali fazer "aquela" arrumação para ver se melhoro o humor e animo um pouco, afinal, daqui alguns dias, é Natal, e depois disso, vou para Atibaia (a médica liberou ficar lá os dias que antecedem o Ano Novo).

Feliz Natal a todos (se eu não passar por aqui antes), lembrem-se do verdadeiro sentido do Natal: Deus que veio na história da humanidade, trazendo esperança!

ps: Continuem as orações pela Taly do "Mamãe de primeira viagem". liguei hoje para o hospital e o estado dela continua regular e ela ainda estpa internada no Centro de Terapia Intensiva (CTI).

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Achei que ia conhecer o Pedro

Ontem passei o dia com cólica. À noite, as contrações de sempre estavam bem doloridas. Também senti dor nas costas. Como meu marido estava bem cansado e já tinha ido dormir, fiquei na sala, vendo tv, esperando as dores passarem, ou o intervalo diminuir. Quando deu quase uma da manhã, a cólica parou. Estava com bastante sono. Fui dormir.

Acordei hoje com cólica. Como havia falado com a minha médica ontem, e ela orientou ir ao hospital, decidi ir hoje pela manhã. Meu marido me levou. Sem dilatação, sem contração, tudo normal. Nem remédio para a cólica me deram. Voltei para casa, ainda com cólica.

Já são quase onze da noite e eu ainda estou com cólica e sentindo um pouco de dor nas costas, próximo à lombar, mas nas laterais. Amanhã, tenho consulta de pré-natal. Acho que nada mudou desde ontem, mas será mesmo tão normal ter tanta cólica assim? Achei até que já ia conhecer o Pedro.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Cutucando a ferida - realização na vida profissional

Já faz um pouco mais de uma semana que não estou trabalhando oficialmente no escritório da família. Digo "oficialmente" pois pelo menos duas vezes por semana passo lá, que é ao lado de onde faço Pilates e acabo fazendo alguma coisa. Mesmo assim, o tempo em casa tem sido maior e, consequentemente, o tempo para pensar, também tem sido maior.

Minha intolerância voltou. Estou apática e meio ranzinza. Acho que pode ser pelo fato de eu estar na reta final da gravidez mesmo. Mas, junto com isso, estou pensando demais em como eu poderia já ter uma profissão onde eu me realizasse e um trabalho, registrado, com horário, bom salário e afins. E isso é como uma ferida para mim, e hoje ela está bem aberta e eu, cutucando.

Meu maior sonho hoje é ter uma profissão e um emprego que me realize. Óbvio que espero receber um bom salário. E até acho que já virá com o pacote. Tenho boas expectativas quanto à minha mudança de área. Queria ganhar o suficiente para que, junto com o meu marido, pudéssemos pagar as contas, sair para jantar, viajar, coisinhas banais que hoje são improváveis ou à base de dívidas no cartão de crédito.

Hoje digo que me arrependo pela minha escolha profissional. Não me arrependo pelo caminho por onde ela me levou pois aprendi muito, conheci muita gente legal, e, com certeza, esse processo teve muita influência em tudo o que acontece hoje na minha vida, de bom também. Mas me arrependo por não ter pensado um pouco mais antes de decidir. Talvez se eu tivesse parado para perguntar para os meus familiares o que eles achavam, eu não teria ido para fisioterapia, e sim, para área de comunicação. Sempre tive inclinações para esta área. Me frustro hoje de pensar que podia estar muito melhor, até psicologicamente. Se arrependimento matasse, eu já estava esturricada em um caixão há pelo menos 5 anos.

Pelo menos, consigo fazer planos. Mesmo com o Pedro vindo aí, tenho certeza de que é possível recomeçar a minha vida profissional. Já sei que, mais uma vez, poderei contar com a ajuda dos meus pais para bancar os estudos. Graças a Deus por eles! Peço todo dia que Deus os guarde e abençoe. Sei o tesouro que tenho, e não estou falando só por eles me ajudarem financeiramente. Mas preciso fazer tudo com muito mais cautela e segurança. Aos 28 anos, querendo realmente voltar ao mercado de trabalho, não dá pra "errar" de novo.

Tenho a impressão de estar no caminho certo. No próximo final-de-semana farei mais um curso na área de comunicação. Cada dia amadureço mais a ideia da nova profissão na minha mente. Estou ansiosa para poder cursar a faculdade e aprender mais ainda. Apesar do medo de ter um trabalho, e não dar conta, não vou desistir. Pode parecer medíocre, mas realmente meu maior sonho é ter um emprego. É ser uma pessoa como as outras, que acorda cedo, se veste e vai trabalhar feliz! Sei que o trabalho terá os momentos chatos, mas se estes momentos forem do trabalho, não me importo. Ter um compromisso assim e conseguir honrá-lo, para mim, não tem preço.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Refluxo na gravidez - Como evitar ou pelo menos, minimizar (depois do susto)

Agora são 4:40 da manhã de domingo (apesar do Blogger dizer que não!). Acordei num susto faz quase uma hora e precisei vir para o sofá da sala. Explico: tive um refluxo sério.

No começo da gravidez, junto com os enjôos veio a azia. Sempre andava com aquelas pastilhas de magnésio na bolsa, junto com os remedinhos básicos para grávida (dipirona, tylenol, remédio para enjôo e buscopam simples). O enjôo, de fato, me encomodou menos do que a azia. Tinha mais pela manhã, mas conseguia controlar com a bolacha água e sal ainda na cama e com o remédio. Agora, a azia, vixe! Essa ia e vinha e incomodava bastante. Dependia de tomar as pastilhas quase todas as vezes após refeições principais.

Mesmo antes de engravidar, nunca pude deitar logo após comer. Apesar de não ter diagnosticado nenhum problema referente à refluxo (já fiz exame), se deito após uma refeição é certeza que terei o retorno de uma pequena quantidade de ácido da digestão. Isso sempre foi assim, mas nunca me trouxe grandes problemas ou também grandes precauções. Vida normal! Simplesmente não deito após ter comido!

Agora na reta final da gravidez, a azia voltou e com ela, o refluxo. Mas esse refluxo não depende de deitar para acontecer. Acontece quando quer, especialmente após refeições mais exageradas e, também comecei a perceber isso hoje, depois de tomar refrigerante ou café, piora. Já há alguns dias percebo que quando coloco um refrigerante na boca, é imediato o soluço. Isso já é uma grande dica de que eu deveria ter evitado refri nessa fase.

Bom, antes tarde do que nunca! Cá estou eu, na 33a semana de gestação fazendo um post sobre como evitar/minimizar azia e refluxo. E sabe o porquê? O refluxo do ácido da digestão que tive às 4 da manhã me fez acordar no susto, sufocada. Assim que o ácido bateu na garganta, ela fechou. Foi horrível a sensação. Sentei e tentei respirar mas o ar não passava. Sorte que tinha água no criado-mudo. Virei a garrafinha de água na garganta e a sensação de sufocamento passou na hora. A sensação da queimação persiste até agora e também sinto que o ácido ainda está logo aqui, pertinho da garganta. E isso passada mais de uma hora.

Então, não façam como eu! Não esperem sentir esse desconforto para começar a se cuidar! Fiz uma pesquisa básica e achei algumas dicas que podem ajudar bastante. Dicas que eu até já conhecia, mas sabe como é, né?!


Dicas para evitar/minimizar azia e refluxo
  • Evite pratos fortes ou gordurosos, frituras, chocolate e frutas cítricas;
  • Evite bebidas alcoólicas, café, chá preto (por causa da cafeína) e refrigerante (o gás promove o aumento da pressão intragástrica);
  • Faça refeições pequenas e frequentes (de preferência 6);
  • Ponha pouca comida de cada vez na boca e mastigue bem;
  • Não beba muito líquido durante as refeições, isso evita que seu estômago fique muito distendido. (Mas não esqueça de que é importante beber cerca de oito copos de água por dia durante a gravidez -- faça isso no intervalo entre as refeições.);
  • Depois de comer, tente ficar sem se deitar por pelo menos uma hora. Alguns sites recomendam fazer a última refeição 3 horas antes de dormir;
  • Monte um encosto na cama com vários travesseiros para dormir numa posição semi-sentada. Existem no mercado também travesseiros anti-refluxo, que formam uma "rampa" na cama, mantendo sua cabeça elevada. A gravidade ajuda a manter os ácidos no estômago -- que é o lugar deles --, o que colabora para uma boa digestão. Ajuda também elevar a cabeceira da cama com um toco de madeira de uns 15cm;
  • Uma leve caminhada após as refeições pode ajudar no processo de digestão (isso se a atividade física for autorizada pelo médico);
  • Um antiácido que contenha magnésio ou cálcio pode aliviar o desconforto, mas fale com o médico antes de tomar, porque algumas marcas contêm grande quantidade de sódio. Também não deixe de falar com o médico se nenhuma dessas medidas ajudar a aliviar o desconforto, pois ele poderá receitar um medicamento mais específico, conhecido como "inibidor de bomba".
Boa sorte e bons sonhos!!!

Fontes: As dicas deste post foram pesquisadas nas seguintes matérias disponíveis on line: Brasil Baby Center; Vila Mulher e Drauzio Varella


Chazinho de erva doce no fogo. Vou deixar esfriar e ver se me ajuda!

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Entregando os pontos

Estou me sentindo uma fraca. Apesar de ter a conciência de que as mulheres não são iguais, acho que estou entregando os pontos muito cedo, mas não aguento mais. Já vi mulheres com mais semanas do que eu trabalhando, vivendo a vida aparentemente com menos sofrimento do que estou passando agora.

Tive a impressão de que de ontem para hoje minha barriga aumentou uns 30kg. Está pesando muito para andar e para ficar parada em pé. Acordei com cólica, muitas contrações levemente doloridas e cansada. Mas é um cansaço anormal. Me sinto sem forças, sem ânimo e apática.

Hoje é o último dia da 32a semana. Amanhã iniciamos a 33a. Sexta-feira tomo a última injeção para amadurecer os pulmões do Pedro. No dia 10/12 farei um ultrassom e dia 17/12 retorno à obstetra. Não estou sentindo no momento, apesar da cólica, que devo ir ao hospital. Mas minha vontade era entrar lá e falar que não saio sem meu filho nos braços.

Fui para o escritório hoje pela manhã. Rendi o mínimo necessário. Fica até difícil para ligar o computador... Fiz pilates, que foi muito tranquilo e até relaxante. E à tarde fui para a casa dos meus pais, que acabaram de chegar de viagem. Voltei para casa dirigindo sem nenhuma vontade, sofrendo a cada manobra, pensando que essa foi a última vez pré-Pedro.

Não sei como vou me sentir amanhã, mas sinceramente, meu desejo hoje é inciar minhas férias agora, não pegar mais o carro e fazer o que eu puder em casa mesmo. Meu maior objetivo das próximas semanas será esperar o Pedro nascer. Graças a Deus, isso é totalmente possível.

Então, aviso a todos que daqui desse sofá, só saio para 3 ocasiões: nascimento do Pedro, Natal e Ano Novo, fora isso, abro excessão só se for para sair semi-carregada, com alguém dirigindo para mim, para ficar em algum lugar sentada com as pernas para cima.

domingo, 28 de novembro de 2010

Amadurecendo os pulmões do Pedro e insônia

São 6:36 da manhã do domingo. Estou acordada desde às 2:20. O sábado foi um dia agitado! Pela manhã, fui na cinematerna com a Di e família. Apesar de o evento começar às 10am, às 5:45 eu já estava acordada. Acordei para ir ao banheiro e não consegui dormir mais. Depois do café-da-manhã e cinema em super boa companhia (adorei ter conhecido você e a sua família, Di!), fui para um churrasco. Chegamos em casa acho que mais de 18:00. Eu estava um tanto cansada, então fiquei largada no sofá com meu marido! Fomos dormir, de fato, lá pelas 22:00 ou um pouco antes. Horário normal. Mas quando deu 2:20 acordei para ir ao banheiro e cá estou eu! Já varri chão, coloquei roupa na máquina (não liguei por causa do barulho), passei pano na casa, lavei a louça, limpei o terraço e banheiro do cão e reguei as plantas. Agora estou tomando um café-da-manhã com um chá "Bons Sonhos" para ver o que acontece! Ah! Além dos afazeres domésticos, li muuuito do Harry Potter!

Na gravidez inteira, não tive problemas sérios com insônia. Não estou me sentindo incomodada com a barriga para dormir. Simplesmente, o acordar para ir ao banheiro, dependendo da hora, me tira o sono. Posso pensar que é um treino inconsciente para quando o Pedro já estiver por aqui, me chamando para mamar durante a madrugada!

E por falar em Pedro, na sexta-feira fui na consulta do pré-natal. Engordei 12,4Kg. Não tomei bronca. Se vocês me virem na rua, não vão acreditar que engordei tudo isso! Aquela dilatação do orifício externo ainda existe, mas está controlada. Não preciso mais usar o remédio. O Pedro está quase posicionado, só ainda não desceu. Mas as contrações estão cada vez mais frequentes e ficando um pouco doloridas como uma mistura de cólica com estiramento. Então, por precaução, a médica prescreveu injeções de um corticóide que acelera o amadurecimento do pulmão do bebê, garantindo que, se ele realmente nascer antes do tempo, seu pulmão estará prontinho para nosso ar poluído de São Paulo! Aff!!!

Meu pai ficou bem assustado com esta história de "possibilidade do Pedro adiantar" e acho que mais assustado ainda por envolver "injeções"!!! Mas, tentei deixar claro que é só para o bem do Pedro e que não necessariamente ele irá adiantar (bem que eu acho que vai, só não sei o quanto).

Fiquei mais tranquila agora! Estou liberada do repouso, até posso voltar ao Pilates, desde que seja bem tranquilo. Posso trabalhar, só não posso exagerar, e acho que qualquer grávida, independente de orientação de médico, sabe qual o seu limite e deu seu bebê ainda no ventre. É isso que vou seguir. Sei o quanto canso quando tenho dois eventos no mesmo dia. Sei que também canso demais quando dirijo muito. E sei que passar pano na casa e varrer não é bem o que eu poderia fazer, mas, quando de leve, só na sala e cozinha, dá para encarar!!!!

Apesar de estar mais tranquila e sem aquela irritação de antes, estou passando por um período mais depressivo, e acho que essa insônia pode ter a ver com isso. Tenho me sentido abatida e com aquele aperto no peito que nada parece suprir. Ontem, no cinema, acho que não consegui mostrar muito bem quem eu sou! Na subida das escadas rolantes me deu uma vontade tão forte de chorar, do nada, que até senti medo de dar de cara com a Di e o marido e cair em lágrimas. Pelo menos, as atividades de ontem me distraíram bem. Só quando voltei pra casa e fui pro sofá, que reconheci novamente aquele aperto no peito...

Hoje vou almoçar na casa de uma amiga bem animada. Não sei se vou ficar com sono até lá, mas pelo menos, a diversão será garantida e, com certeza, um pouco dessa fase depressiva será esquecida. E isso é um ótimo sinal de que as coisas não estão ruins, só um pouquinho desequilibradas! O que é mais fácil de superar. Ufa!

ps: vou tentar descarregar hoje as fotos e acrescentar aqui a foto da cinematerna!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Irritada ao invés de ansiosa - 32a semana

E finalmente saímos da 30/31a semana. Estas duas semanas para mim foram eternas. Hoje, começa a 32a, mas, sinceramente, as coisas vão continuar iguais...

Cheguei a um ponto da gravidez em que não há novidades. A barriga já está evidente há algumas semanas e parece que agora só estica. O bebê continua se mexendo desde a 18/19a semana. A pressão baixa, moleza e sonolência continuam, quer dizer, pioraram com esse calor, mas isso não é novidade boa. O sono continua sendo uma surpresa, uma noite durmo, na outra rolo. A maioria dos preparativos já está sob controle: quarto com berço, cômoda e armário, chá de bebê feito, mala da maternidade pronta. Enfim, o marasmo chegou.

Não pensem mal de mim, por favor! Não estou indiferente ao nascimento do Pedro estar mais perto, mas sempre fui uma pessoa dinâmica, que depende de novidades para sobreviver. Isso já foi assunto de muita terapia e até uma descoberta que justifica porque não posso trabalhar em uma mesa de escritório, todos os dias, horário comercial, fazendo a mesma coisa. Apesar de ser vital para mim ter uma rotina todos os dias (entende-se: organização de horários), essa outra rotina (entende-se: fazer sempre a mesma coisa) me mata. E senti que há umas 3 semanas entrei na rotina que me mata.

Estou ficando até irritada com essa situação. Queria pelo menos estar com um ritmo bom de trabalho, mas nem isso. Trabalhei na sexta e ontem. Estava bem empolgada! Acordei às 6 e não dormi mais (primeiro grande erro). Então, resolvi levantar. Tomei café, tomei banho, fui na feira com meu marido, tomei dois caldos de cana (segundo grande erro), deixei meu marido no trabalho e fui para o escritório. Foi a pior coisa que fiz. Fiquei sonolenta e com uma moleza indescritível até depois do almoço. Era algo incontrolável e irritante. Tinha esquecido que caldo de cana baixava a minha pressão. Desastre óbvio: sono + pressão baixa = baixíssima produtividade e zero de concentração.

Queria muito entrar em um ritmo de trabalho de novo, me sentir mais útil, ver mais pessoas, fazer mais coisas, me distrair. Mas meu corpo não me acompanha mais. Os 12kg a mais estão pesando o triplo. A concentração está ficando estranha. E, para piorar, só tenho autorização para dirigir por mais 2 semanas. Depois destas semanas, não sei o que será de mim.

Acho que esta sensação só pode ser da bipolaridade. Porque estar irritada a 9 semanas do nascimento do seu filho não deve ser normal. Tanto que às vezes esqueço até de conversar com ele, de curtir mais ele e a barriga. Parei de curtir as roupinhas e o quartinho. Ainda não revesti a parede com o tecido, ainda não comprei a poltrona. Me preocupei com as malas da maternidade e só.

Além da irritabilidade, agora que coloquei tudo isso em palavras, bateu uma "pena de mim mesma". Queria ter a fórmula para mudar essa sensação. E por mais estranho que pareça, aquela nostalgia gostosa ainda está ativa. Vai entender...

domingo, 21 de novembro de 2010

Grávida ou Bipolar? Quem culpar? Dicas para ajudar a descobrir!

Grávida ou bipolar?

Quando decidi iniciar este Blog, fiz uma pesquisa no google usando os termos "grávida" e "bipolar". Além de encontrar algumas blogueiras bipolares que tiveram filhos, encontrei alguns comentários de grávidas usando o termo "bipolar" para se referir ao estado de humor de uma gestante sem o transtorno. A princípio não gostei desse "trocadilho", afinal, sei na pele o que é realmente ser bipolar, e, apesar de ser bipolar tipo II bem tranquila, sei que não é nada fácil. Mas agora, entendo que não houve maldade alguma nisso!

Este Blog é muito mais do que apenas um lugar para registrar meus sentimentos, crises e descobertas. Funciona quase como uma terapia! O que seria de mim sem os diversos comentários que recebo aqui que me auxiliam em muito a distinguir sentimentos de "grávida" dos sentimentos de "bipolar"? Não consigo pensar me dividindo em duas Julianas!!! Então, geralmente, não sei a quem culpar pelo que sinto, se a Juliana grávida ou a Juiana bipolar! E o Blog tem ajudado!

É fato que muito do que uma grávida bipolar sente é intensificado por esta condição prévia. Mas arrisco a dizer, no auge da 31a semana (e a Di pode me ajudar a mentir ou me desmentir!!!) que grande parte das crises, dúvidas, sentimentos & afins são basicamente causados pelas alterações hormonais.

Dicas para saber quem culpar

Diante desse fato, aconselho às grávidas bipolares que apresentavam dificuldades para perceber quando estavam prestes a ter uma crise antes de engravidarem a pegarem firme na terapia com um(a) psicólogo(a) e a anotarem tudo o que sentem e pensam em um diário para despejar sobre o/a obstetra (santo(a) obstetra!) para entender o que é da grávida e o que é da bipolar.

Você pode estar pensando: "Minha/meu obstetra não vai ter essa paciência!" Ou pode ainda pensar que vai dar trabalho anotar tudo. Eu rebato: não precisa escrever um livro por dia! Registre os sentimentos principais, aquela carinha típica de diário de adolescente funciona bem: "Olá querido diário! Hoje quis matar meu marido, não páro de chorar, estou louca por doces e estou com medo do parto. Apesar de ontem ter acordado feliz da vida sem saber o porquê."

Assim fica fácil pro obstetra e para você! Foi um exmplo bobo, mas acho que típico de uma grávida bipolar!!! Claro que estas mesmas anotações deverão ser levadas também para o terapeuta. Usando o exemplo, acho que apenas a felicidade sem motivo porderia ser apenas por causa da bipolaridade, o resto, as duas, a grávida e a bipolar, podem levar a culpa!

Isso vai ajudar não só as bipolares que apresentavam alguma dificuldade antes da gravdiez, mas também as que já entenderam o seu funcionamento, pois desta forma a gente aprende a se entender cada dia mais e cada dia melhor, podendo escapar, ou pelo menos sair "mais ilesa", das cirses maníacas ou depressivas.

Se não conseguir distinguir qual a culpada, não fique neurótica! Não vale a pena! Resolva uma questão por vez, evite as crises, procure alternativas saudáveis para fugir, passar ou se recuperar delas e aproveite ao máximo tudo o que a gravidez te proporcionar, você um dia ainda sentirá falta dessa aventura!!!

Boa sorte!

sábado, 20 de novembro de 2010

Sentimentos nostálgicos depressivos ou fase de mania?

Acho que as minhas melhores recordações se passaram no verão ou, pelo menos, em dias quentes! Desde que iniciei o meu repouso, tenho acordado com sentimentos nostálgicos, uma sensação gostosa, talvez proveniente da infância ou de algum momento bem feliz da minha vida. É como se fosse uma lembrança sem rosto. Acordo alegre, leve e tudo parece estar no lugar certo. Não que eu não esteja feliz, mas é algo que vai além do real.

Mas, depois de quase 15 dias de "Poliana", achando tudo lindo e maravilhoso, a desconfiança começa a aparecer. Agora mesmo estou com essa nostalgia, mas desconfiando. Parece algo que talvez eu tenha sentido em um primeiro dia de aula (quando isso ainda era excitante!) com material novo, caderno lisinho, mochila arrumada, reencontro dos amigos... Apesar de ser um sentimento feliz, já está me irritando. É como se essa sensação não fosse minha.

Não sei se alguém entende o que estou sentindo. Vou fazer um paralelo com a vida high-tech para explicar melhor. É como se a gente pudesse pegar nosso computador ou celular, abrir um site e escolher qual sentimento fazer download. Uma vez a "felicidade" baixada no seu dispositivo, ela seria transferida via Bluetooth para seu cérebro. Mas, ao mesmo tempo que você "roda" o "aplicativo felicidade", você tem plena conciência de todos os outros sentimentos "não digitais" que permeiam o seu sistema. Entendeu?!

Por um momento penso que isso pode ser uma fase de descompensação. Talvez aquela alegria da fase de mania, mesclada com algum auto-conhecimento. Ou talvez seja uma fase depressiva, nostálgica, confundindo meu cérebro com uma enxurrada de sentimentos passados. Vai saber! Eu não sei. Mas vou tentar continuar vivendo os meus dias nostálgicos sem ficar louca!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Rotina no repouso

Apesar da liberação da médica para trabalhar (ainda não posso fazer atividade física), ainda estou em casa. Como nesses últimos meses tenho trabalhado apenas meio período na empresa dos meus pais, houve um consenso para eu ficar por aqui mesmo. Mas ontem trabalhei bastante em casa!

Um dia trouxe trabalho para casa. E o trabalho ficou em casa, descansando no armário!!! Eram algumas pendências do escritório, daquelas tipo fantasma que te assombram, sabe? Era questão de honra resolvê-las antes do Pedro nascer! E ontem, finalmente, resolvi! Cansei, mas resolvi! Fiquei com uma dor nas costas chata por ter ficado sentada na cadeira dura a tarde toda, mas isso já passou. E hoje, é a garganta que está reclamando. Percebi ontem ela começar a incomodar. Estou tentando curar com garagrejo com água e sal, chá com cravo, muita água e... repouso, claro!

Apesar do potencial lesivo do repouso para uma bipolar como eu, estou me saindo muitíssimo bem! Desde que fiquei em casa, variei bastante as minhas atividades. Fico um tempinho no computador (não o dia todo, geralmente mais pela manhã), leio diversos livros, folheio revistas, ouço alguns podcasts, arrumo uma gaveta, cheiro as roupinhas do Pedro etc. Também tenho feito as refeições na hora certa, não fico o dia todo de pijama e não estou dormindo à tarde.

Ficar em casa, à toa, de pijama, no sofá vendo tv é uma grande porta de entrada para uma depressãozinha básica. Como sempre falo por aqui, a rotina me salva! E, mesmo em repouso, não poderia ser diferente!

O próximo plano para este repouso será arrumar as fotos (as reveladas e as que ainda estão em arquivo digital). Preciso passar todas as fotos que estão no note para o computador de mesa. Isso é bem chatinho, mas precisa ser feito. Também vou gravar os backups em dvd de todas as fotos. Vou tentar agrupar uns cds gravados, sem nome, que estão espalhados por aí e ver se acho as fotos da lua-de-mel.

Quem sabe até o final-de-semana não me liberam do repouso para eu, finalmente, sair com a minha mãe para comprar as camisolas, sutiãs e calcinhas para a maternidade!

domingo, 14 de novembro de 2010

Gestante de primeira viagem: ligações para médica e visitas mil ao hospital

Liguei para a minha médica hoje! Não aguentei esperar! A Maya tem razão, essa ansiedade só faz mal! Mas liguei também porque acordei com cólica e com muitas contrações, apesar de indolores, estavam frequentes (a cada 5 minutos). Fiquei um tempo a mais na cama para ver se passava. A cólica aliviou então fui tomar banho. Meu marido corre, e esta manhã ele participou de uma corrida, e chegou em 3o lugar!!! Ele chegou em casa assim que eu acabei o banho. Tomamos café juntos e decidi ligar para a médica. Tirei algumas dúvidas (as principais) e ela me orientou a ir ao hospital caso as contrações continuassem, mas mesmo assim, deixou claro que isso não significa trabalho de parto. Para piorar um pouco, tive uma reação alérgica ao utrogestan (medicação de progesterona local), então ela pediu um exame de urina. Ela me liberou para trabalhar, dirigir curtas distâncias, mas manteve a proibição de atividade física.

Dei um jeito na casa, de leve, e estou já faz um tempo de boa no sofá com as pernas esticadas, ouvindo músicas de natal, lendo/navegando na internet! A cólica não voltou com força total. Às vezes sinto beeem de leve. As contrações continuam da mesma forma (às vezes indolores, às vezes com dor). Estou aguardando para ver o que faço. Talvez nem vá ao hospital.

Ter ligado para a médica e esclarecido as minhas dúvidas ajudou muito. Meu humor ficou 100% melhor! Até inventei de fazer uma trança no cabelo!!!! Estou mais tranquila também com o que estou sentindo. Quando meu marido acordar do "sono pós-corrida", vai me ajudar a decorar a casa para o Natal! Sou super fã dessa época, pelo significado, pelos dias de folga com a família e por tudo o que envolve.

Agora, a gravidez voltou a ter graça! Até acredito mesmo que Pedro vai esperar pelo menos mais 6 semanas! Vai me dar tempo para arrumar a minha mala, fazer as fotos e curtir um pouco mais a barriga, sem stress!

Obrigada a todas pelos comentários, pela torcida, pelos conselhos! Fiquem tranquilas que qualquer coisa, baixo sem dúvida no hospital, que fica a 5 minutos de casa e manterei o Blog atualizado!

Bom final de semana e feriado!


esperando... :-)

sábado, 13 de novembro de 2010

Quando a gravidez fica chata e indefinida

Estou há 4 dias em repouso, e já estou bem chateada. Além do óbvio (é chato ser forçada a algo que você não quer), estou assim pois a minha situação parece não definida. No hospital, descobri que estou com dilatação de 1 dedo do orifício externo. A obstetriz disse que poderia significar trabalho de parto, mas isso não se confirmou no exame de cardiotocografia (que verifica a ocorrência de contrações verdadeiras). As orientações da minha médica sobre o repouso não foram muito claras. Eu não posso fazer esforço. Para mim, isso é vago. Como ela estava em parto, não consegui esclarecer o que seria esforço e o tempo do repouso. Quando ela me retornou, explicou que eu deveria ficar até a próxima consulta (26/11) sem fazer as caminhadas e pilates. Mas esqueci de perguntar sobre o tempo do repouso. Ela também deixou claro que não tinha pressa em me ver.

E cá estou eu, com a família toda preocupada, sem saber de fato o quanto devo me preocupar. Sinto um pouco de dor, especialmente quando acordo. A barriga tem ficado constantemente dura, às vezes de forma dolorida. Hoje, senti um pouco de cólica, bem leve. Mas mesmo assim, não sei qual seria o quadro para ir para o hospital.

Tento às vezes usar o "sexto sentido". Mas sou péssima nisso! Sinto que o Pedro vem aina este ano. Meu marido, que é melhor do que eu no quesito "intuições" acha que não. Dependo da minha mãe para comprar as minhas roupas para a maternidade, e ela também não está demonstrando muita urgência. Já pela minha tia, eu já estaria com as malas no carro. E eu, sinceramente, não sei o que pensar, e isso tem me deixado "sem graça".

A gravidez neste ponto ficou chata. Não estou curtindo a barriga, por causa da preocupação, e também não estou curtindo a chegada do Pedro, pelo medo de ele vir antes e ter problemas. Gostaria que ele esperasse pelo menos mais 6 semanas. A minha única preocupação tem sido perceber quantas vezes por hora a barriga fica dura e ficar atenta a qualquer sinal de dor ou cólica. Um saco essa história. E acho que meu marido não se comove. Talvez ele saiba, com a "intuição" dele, que não é nada demais.

Vou esperar passar o feriado, e ligar para a minha médica para tirar estas dúvidas todas. Já vai ter passado praticamente uma semana. Vou fazer uma lista com todas as dúvidas: posso subir escada? (no escritório tem escada); qual a diferença na prática de contrações falsas e verdadeiras?; o que pode de fato aumentar a dilatação?; posso dirigir? (bem que isso ela falou que só poderia até 34 semanas, falta pouco); quanto de repouso preciso fazer mais e quais as restrições neste repouso? Posso cozinhar (ficar em pé por um tempo)? Vou até consultar o Blog para lembrar de todas as dúvidas!

É isso. Está chato demais essas incertezas todas. Preciso que as coisas fiquem um pouco mais claras. Topo fazer mais repouso, se precisar, até aqueles bem restritos, contanto que eu saiba que ele realmente é necessário. E também não me importo de voltar a trabalhar, contanto que eu saiba que não corro o risco de ter meu filho no meio do expediente!

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Dilatação e contrações com 30 semanas

Ontem, senti minha barriga endurecer diversas vezes. Mas já tinha percebido antes, e não tinha dado bola! Como fechei a 29a semana ontem, recebi o email do Baby Center, e decidi fuçar sobre "barriga dura". Vi que isso é o que chamamos também de contração! E a frequência que estava acontecendo, era digna de aviso à minha médica.

Liguei para a médica antes de sair de casa para o trabalho. E ela, imediatamente, me mandou pro hospital Santa Joana, onde terei o Pedro. Fiquei preocupada. Dor, só senti logo pela manhã, depois o endurecimento da barriga não estava acompanhado de dor.

Fui de táxi até o hospital. Demorou pouco para ser atendida pela obstetriz, que verificou que eu estava com um dedo de dilatação do orifício externo. Eu perguntei o que significava isso e ela disse que podia e não podia significar trabalho de parto. Fiquei mais preocupada e até chocada em imaginar que eu poderia estar quase em trabalho de parto. Imagina, 30 semanas recém feitas e ainda nem fiz as fotos de gestante! Vixe! Que medo!

Para verificar se estava ou não em trabalho de parto, me encaminharam para a cardiotocografia. O Pedro mexeu tanto que acho que 50% do exame foi "pro saco" e claro, não pegou nenhuma contração. Assim que o exame acabou, minha barriga voltou a ficar dura. No ultrassom deu tudo normal. Fui liberada depois de aproximadamente 4 horas da minha chegada lá. Ainda não tinha almoçado.

Almocei às 17:30 e voltei para casa, e óbvio, continuei tendo as contrações. Mas a minha médica disse que não era para ficar muito preocupada. Estou de repouso durante essa semana e usando Progesterona local. O Pedro contiua mexendo feito louco! Mas a mãe aqui, agora não pode fazer mais nada... nem as caminhadas na esteira, nem o pilates, até segunda ordem. Vou aproveitar e tirar as fotos das roupinhas, passar sentadinha as 4 calças que estão fora da mala do Pedro, me atualizar constantemente sobre todos os blogs e sites que acompanho. E quem sabe não faço um pouco de tricot e tento descansar!

Ah! Como uma boa bipolar que se preze (se é que isso existe!!!) vou fazer um cronograma destes dias aqui, com horário para algumas coisinhas, para não arriscar ficar deprimida na cama, largada dormindo o dia todo!!! Inclusive, tenho um ótimo incentivo para sair da cama, além da fome: acabar de ler "Harry Potter e as Relíquias da Morte"!!!

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

De malas quase prontas/Listas - 30 semanas

Hoje completo 30 semanas de gestação, ou seja, final do sétimo mês. A mala do pequeno Pedro já está pronta. A mala da mamãe aqui, nadica de nada de pronta! Nem comprei ainda as camisolas, sutiãs e calcinhas... Mas para não dizer que está vazia, tem a minha necessaire, o meu chinelo, um penhoar e os documentos! rs

Todo dia mexo nas roupinhas da maternidade ou em alguma coisa do quarto do Pedro. Que, inclusive, ainda não está com a decoração pronta. Vou aproveitar os dias em casa, com a proibição de dirigir a partir da 34a semana, para colar o tecido na parede. É coisa fácil de fazer. Mas acho que esta será a pior fase.

Ser obrigada a ficar em casa por doença é bem chato, agora, ser obrigada a ficar em casa grávida é pior ainda. A ansiedade provavelmente irá triplicar. Eu já estarei bem cansada, então não dá para inventar muita moda, do tipo, arrumar armários ou pintar paredes. Ler, estando ansiosa, não rola. Então, o que fazer? Pelo menos, vou me obrigar a caminhar todos os dias na esteira do prédio, mas isto só "mata" uma horinha do meu dia.

Final do dia de dondoca

Ontem, após o trabalho fiz massagem. Ah! Devia muuuito ter pensado isso na segunda-feira. Mas, mesmo assim, foi uma delícia! Saindo da massagem passei em frente a uma "Alô Bebê". Claro que parei! Até hoje eu ainda não tinha comprado nada para o Pedrinho. Como algumas coisas não vieram com o chá, e eu queria deixar a mala dele prontinha, fiz um "pequeno investimento" por lá! Imagina, massagem, compras... deu para relaxar bem!!!

O que comprei:
- protetores de tomada (acho que ele não vai enfiar o dedo na tomada tão cedo, mas, prefiro prevenir!)
- aspirador nasal (achei um baratinho com dois bicos)
- fronhas extras (pacote com 3)
- 4 calças (era o que faltava para fechar a mala dele)
- 2 bodies RN que combinam com a saída de maternidade que ganhou da bisa
- 1 bolsa térmica (vai no micro e no freezer) muito charmosa, ótima para cólicas!
- 1 bomba manual extratora de leite
- 2 buchinhas para banho

Como havia prometido, segue o resumo dos presentes do chá! Lembrando que eu ganhei o enxoval da minha avó Sylvia:

O que ganhei no chá:
- 1 bebechila térmica
- 1 garrafa térmica
- 1 cobertor
- 3 jogos de lençol completos
- 1 lençol com elástico
- 2 travesseiros
- 1 travesseiro anti-refluxo
- 1 toalha de banho com capuz, revestida de fralda
- 2 lenços umidecidos
- 1 pacote grande de algodão
- 5 pacotes de cotonete
- 11 sabonetes em barra
- 2 cremes para assadura
- 3 shampoos cabeça aos pés
- 1 colônia Johnson
- 2 talcos (não havia pedido, não sei se serão realmente úteis)
- 2 cxs de absorvente para os seios
- 1 loção higienizadora
- 6 toalhas de boca
- 3 fraldas de pano
- 1 kit pente, escova e tesourinha (sem etiqueta de loja)
- 1 kit pente e escova (não posso trocar, veio com "data vencida" de troca. Vou doar este!)
- 3 pares de meia RN
- 2 sapatinhos (as coisas mais fofas que já vi!)
- 1 brinquedinho lindo
- 1 par de meia P
- 1 par de meia G com anti-deslizante
- 4 bodies RN manga curta
- 3 bodies RN manga longa
- 6 pacotes de fralda RN (114 unidades)
- 2 pacotes de fralda XP (40 unids)
- 6 pacotes de fralda P (226 unids)
- 2 pacotes de fralda M (34 unids)
- 2 pacotes de fralda G (53 unids)
- 1 chupeta palmeirense!!!

O que faltou no chá:
- 1 termômetro digital
- 1 protetor solar para o carro (acho que um amigo do meu pai trará dos EUA)
- 1 conjunto de mamadeira BPA free
- 1 massageador de gengivas
- 1 mordedor
- 1 posicionador para dormir
- lençol para carrinho
- 1 saco de dormir
- 3 babadores
- 3 luvinhas (talvez eu nem precise mesmo, já que o Pedro nascerá no calorão!)
- 1 pomada para os seios
- 1 saboneteira
- 1 lixeira (acho que vou ganhar hoje!)
- 1 óleo
- 1 mosqueteiro
- 1 saboneteira

O que realmente falta comprar, que não pedi no chá:
- 1 babá eletrônica (acho que vão trazer dos EUA)
- 1 espelinho retrovisor para ver o bebê enquanto dirijo (tb acho que vão trazer)
- 1 banheira com suporte (já tenho o balde!!!)
- 1 berço para viagem
- 1 protetor para colchão
- 1 sling
- 1 almofada para amamentar
- 1 poltrona
- 1 abajour
- 1 cadeirão (esse pode esperar um pouquinho!)
- protetores de quina para móveis

Depois, posto fotos de tudo! Vou correr aqui porque preciso andar e já estou atrasada!!!
Ah! Mas antes, como o Natal esta chegando, vale a pena conferir o sorteio no Blog Coisas da Ira, da minha amiga Iramaia. Passe lá e concorra a mimos natalinos lindos!!!

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Chá do Pedro - amigas, diversão, presentes e muito, mas muito cansaço!

O chá do Pedro aconteceu no sábado. Combinei com a prima do meu marido (que me ajudou demaaaaaiiiissss) de fazer mini hamburguinhos, mini hot-dogs, mini baked potatoes e sanduichinhos de atum. Comprei os docinhos e os pães. O resto, fizemos em casa. Aff! Nunca mais! Sexta-feira comprei tudo e no sábado acordamos cedo para preparar as comidinhas. Deu um trabalhão! Ficou delicioso mas nem eu, nem ela tínhamos pernas ou pés durante a festa!

Outras duas amigas que ajudaram bastante foram a Aline, que mandou os diversos emails, e a Sônia, que chegou mais cedo e arrumou a decoração, além de ter feito as lembrancinhas (fez as latinhas e comprou os bichinhos). Tem uma foto legal lá embaixo!

Uma amiga de Minas, a Pat, liderou as brincadeiras. Eu havia programado de fazer algumas diferentes, mas no final, o povo chegou tarde e não deu tempo. Mas, o bingo rolou! Foi legal abrir os presentes de uma forma mais interativa com as convidadas. As 6 convidadas que acertaram o bingo ganharam lembrancinhas! A Pat também fez todas as convidadas escreverem no papel algo para eu advinhar quem elas eram. Gostei bastante desta lembrança. Uma amiga de infância escreveu uma situação engraçada que passamos juntas. Ela, mais nova do que eu alguns anos, comeu um batom de uva (aqueles que o estojo é em formato de uva) que eu tinha acabado de ganhar no meu aniversário! Foi fácil descobrir que era ela!!!

No final, os homens também ficaram por lá no salão. Como o salão do prédio é em "U", enquanto as mulheres me zuavam em uma "perna", os homens bebiam na outra!!!

A arrumação final também foi bem sofrida, e sobrou para as primas do meu marido (santas!), eu e ele. Fomos dormir bem tarde, com a bagunça espalhada pela casa. Porque só transportamos a bagunça do salão para o apartamento. No domingo separei os presentes, lavei as louças e dei uma leve organizada. Mas ainda hoje, segunda-feira, tem muito o que fazer. Consegui uma folga do trabalho, até porque estou me sentindo super cansada da maratona. Não imaginei que seria assim!

Hoje, já lavei mais roupinhas do Pedro, inclusive as que ganhamos no chá, para aproveitar o solzão! Assim que eu conseguir finalizar a arrumação, conto para vocês o que ganhamos, o que faltou e outras novidades!

Vejam algumas fotos do evento:


Pat, minha mãe e Bia (a prima que sofreu comigo!)


Eu - antes


Lembrancinhas feitas pela querida amiga Sônia
Valeu, Sô, tudo ficou lindo!



Bolo de fraldas da amiga de infância e neonatologista do Pedro - Cacuca


Com as meninas corredoras!


Com a Aline (vizinha super amiga!)


Com a amiga de infância que, literalmente, deu o bolo (de fralda)!!!


Com o maridão! (Zuei um pouco ele, era injusto ele estar tão limpinho!)

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Uma pausa

Ensaiei um pouco para voltar aqui. Mas é preciso. Estou passando por uma fase difícil. Coisas da vida. O Pedrinho está bem e o marido também. Mas uma pessoa querida não e isso me deixa muito chateada. Desculpem-me pela ausência. Tem sido difícil falar de sentimentos. Vou voltar a tomar minha homeopatia, florais e a usar minha aromaterapia. Esperar a poeira baixar. Pensar, descansar. Já tenho um post semi-pronto que queria finalizar, mas ainda não consegui. Já já posto.

O chá do Pedro será neste sábado. Vou ficar mais animadinha até lá! Ainda tem muita coisa para fazer. Depois, conto tudo!

Espero que todas(os) tenham passado um bom feriado e que os próximos dias sejam sempre melhores!


Lago Dourado - Atibaia - 10/2010

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

O quarto do Pedro ganhando forma

J e Banner pintando o quarto do Pedro

O berço e cômoda do Pedro chegaram ontem (comprei na Allegrini e não tive problemas, até entregaram antes do prazo) e já estão montadinhos no quarto dele. Ainda falta muito o que arrumar. As paredes estão pintadas de branco, falta aplicar o tecido. Devo fazer isso em 2 meses no máximo!!!! Coloquei alguns objetos por lá para o quarto não ficar vazio! Algumas caixinhas na cômoda, uma colcha branca no berço com uma almofada bordada "Pedro".

Mas tive um sentimento estranho com relação ao quarto. Ontem, logo que os montadores foram embora e eu resolvi ajeitar o cômodo, senti um aperto no peito, uma angústia, e como sempre faço, comecei a refletir sobre qual seria o motivo destas sensações.

Pensei em medo de o Pedro não deitar lá. Mas acho que não era isso. Pensei também que o quarto do Pedro materializa o início da "independência" dele de mim. Hoje, eu e ele somos quase uma só pessoa. Ele é praticamente só meu. E com ele aqui, na minha barriga, sou especial, sou preferencial, sou quase um santuário! A partir do momento que ele for para o bercinho, ele será de todos, será do mundo. Me assustei com estes pensamentos...

Lembrando aqui que ainda estou sem remédio e que, apesar de estar passando bem este período de gravidez, ainda sou bipolar. Vou ficar atenta a estes sentimentos. Espero que seja apenas uma bobeira, uma mistura de sensações, parte das oscilações hormonais da gravidez, porque estou sim muito feliz com a vida do Pedro e quero muito conhecê-lo logo, ver seu rostinho, sentir seu cheirinho e curtí-lo com meu marido, família e amigos.

Banneco procurando o Pedro

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Meu marido


Só queria passar para dizer que estou cada dia mais apaixonada pelo meu marido! E pensar que eu achava que a gravidez iria minar nosso relacionamento...

domingo, 17 de outubro de 2010

Grávida no show do Jamiroquai: pode (podia)?!


Fui até a Teodoro Sampaio ontem à tarde, com meu marido, para ver um violão elétrico. Logo na primeira esquina encontramos um amigo que há tempos não víamos. Conversamos e ele contou que ganhou 6 ingressos para o festival Natura Nós, que fecharia com o show do Jamiroquai. Fiquei louca!!! Óbvio que fui logo pedindo para ele, torcendo que ele tivesse ainda pelo menos 2 ingressos em mãos. Sorte nossa! Ele tinha e lá fomos nós, um pouco depois das 21h, para o show.

Fiquei receosa porque o ingresso era para pista (na Chácara do Jockey a outra opção seria pista VIP), e amassar a barriga na pista de um show como Jamiroquai é facinho. Fiquei um pouco tensa com isso. E também me preocupei com o fato de ter que ficar em pé por muito tempo, já que o show estava marcado para as 23h.

O caminho até o local do show foi tranquilo. Fomos até o estacionamento oficial do evento e estava lotado. Não tive dúvidas. Desci do carro e pedi para o senhor que estava controlando o acesso ao estacionamento uma vaga para uma grávida! Ele cedeu na hora! Ufa! Primeira fase completada com sucesso!

Caminhamos até o local. Era bem perto do estacionamento. Tinha bastante gente chegando, mas não tinha fila. A moça que me revistou me disse de cara "O que é que você está fazendo aqui com essa barriguinha?". Bom...fã é fã, com ou sem barriga, não? Mas claro que se eu estivesse com mais de 7 meses talvez não teria arriscado... Depois de atravessar quase que um pântano e enxarcar meu all star de couro cor gelo de lama daquela bem vermelha, estávamos no local dos palcos, mas meu sonho de consumo daquele minuto foi um banheiro! Óbvio que já precisava fazer xixi!!!

Localizamos o palco verde, que era o da apresentação principal. Não tinha ninguém tocando, mas já tinha bastante gente na pista. A pista estava todinha cheia de lama, então, sentar, seria impossível. Mas meu marido teve uma boa sacada, disse que talvez se fossemos até a pista VIP (mais perto do palco e com piso de borracha) deixariam a gente entrar por causa da gravidez.

O segurança foi super gentil. Expliquei que estava de quase 7 meses mas estava lá por minha conta e risco, mas queria saber se haveria alguma possibilidade de ficar em um lugar mais tranquilo para ver o show. Na hora ele liberou a nossa entrada! Segunda fase completada com sucesso e superação!!! E lá ficamos, bem pertinho do palco. Não colada na grade, pois ainda tinha medo de me espremerem contra ela.

Esperamos pelo show sentados no chão. Não tinha muita gente. Mas quando começou o show, deu uma "muvucada". As pessoas logo viam que eu estava grávida (as mulheres fazem caras horríveis quando vêem a barriga) e davam uma certa distância! O Jay ficou muuito perto. Pena que eu esqueci os óculos em casa!!!

Em certo ponto do show, me senti meio molenga, então fomos mais para a lateral e assistimos as últimas músicas eu sentada no chão, e meu marido, de guarda-costas! Ah! Logo que chegamos no VIP, avisei ao bombeiro que eu estava grávida! Ele disse que qualquer coisa, pulava para me socorrer! Ficamos sentados bem perto de onde este bombeiro estava, mas eu não dei nenhum motivo para a adrenalina dele subir! Ufa!!!

Saímos antes do show acabar, mas acho que estava bem perto disso. Cheguei em casa acabada com as pernas pesando uma tonelada cada. O Pedrinho deu uns bons chutes durante o show! Não senti dor na barriga ou algum desconforto relacionado diretamente com o Pedro. Hoje, acordei ainda pilhada pelo show de ontem! Amei cada segundo! Agradeço a atenção da organização, representada pelo Alex, que permitiu que a grávida aqui curtisse o show em segurança! O Pedrinho passa bem! Está mexendo normalmente e acho que mexe mais quando ouve Jamiroquai!!!


ps: Conversei com a minha médica para tirar a dúvida sobre se há prejuízo ao tímpano do bebê pelo alto som do show. Fiquei bem preocupada com o comentário da Isabela. Mas minha médica disse que o bebê está bem protegido e eu não preciso me preocupar. Talvez, os médicos possam discordar quanto ao prejuízo. Fiquei mais tranquila ainda, agora que achei esta matéria > Grávida pode ir à balada?


foto: http://www.flickr.com/photos/naturamusical/5088441150/

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Dicas de brincadeiras para chá de bebê

Estava organizando o meu Blog e resolvi republicar as dicas que a Di e a Núbia enviaram com brincadeiras para chá de bebê. Quem souber de outras, comente aqui!
Obrigada meninas!

  1. Vista o bebê: Essa é para testar as habilidades! Cada time ou pessoa deve tentar vestir a boneca o mais rápido possível. Mas, se você não vestir a boneca corretamente ou não colocar todos os acessórios, perde ponto.
  2. Combine as meias: jogue 10 pares de meia de bebê dentro de uma caixa e misture bem. Depois, cronometre o tempo que cada pessoa leva para combinar os pares. tente repetir cores para a brincadeira não ficar tão fácil. Cada participante tem um minuto. Depois, os 10 pares ficam para a futura mamãe colocar no bebê.
  3. Corrida das mamadeiras: Cada participante enche uma mamadeira com leite ou uma bebida alternativa e começa a tomar como um bebê faria. A pessoa que beber mais no menor tempo, ganha um prêmio.
  4. Bingo do bebê: Enumere os presentes e dê uma folha de bingo para cada participante. Na hora de abrir os presentes, a mamãe lê o número do presente que pegou e os participantes vão marcando. Quem fizer o bingo primeiro, ganha o jogo e leva um prêmio.
  5. A fralda surpresa: No começo da festa, pregue uma fralda pequena na roupa dos convidados e diga-lhes que mais tarde saberão sobre o que se trata. No final da festa, peça para todos abrirem as fraldas. Uma delas estará "premiada" com chocolate. O sorutdo ganha um prêmio.
  6. Pregar o espermatozóide no óvulo: É a versão materna do "pregar o rabo no burro". Desenhe no papel um ovário com um óvulo dentro e pregue na parede. Enfeite um objeto pontudo (que fixe no desenho com uma fita dupla-face, por exemplo) como um espermatozóide. Para entrar mais no clima da festa use como venda uma fralda grande ou roupinha de bebê. Quem acertar leva um prêmio.
  7. Cuide do bebê ovo: No começo do chá de bebê cada convidado ganha um ovo (de preferência aqueles de plástico) para tomar conta, como se fosse seu bebê. cuidado, se um ovo for deixado de lado, quem o tiver visto pode adotá-lo! No final, ganha quem tiver o maior número de filhos ovos.
  8. Dificultar o embrulho para a pobre coitada da gestante não advinhar o que é e ter que pagaar um castigo.
  9. Escoher um nome para a gestante na hora da brincadeira. Quem errar o nome, paga um castigo.
  10. Pedir para as convidadas cortarem um pedaço de lã que seja do tamanho da barriga da gestante sem medir nela. Quem tiver o pedaço de lã que mais se aproxima do tamanho real da barriga, ganha um prêmio.

Enxoval: quebrando a cabeça com tamanhos!

Hoje resolvi arrumar as roupinhas do Pedro para fazer uma lista "final" do que temos até agora. Já usei diversas listas para ver se tenho tudo o que precisamos. Mas, sempre me deparei com o mesmo problema: tamanho.

Algumas roupinhas vem com o tamanho em letras: RN, PP, P. Outras, idade: 0-3 meses, 3 meses, 3-6 meses, 6 meses, 6-9 meses. Outras ainda tem o peso indicado na etiqueta. Comparando as roupas, uma M brasileira às vezes coincide com uma 0-3 meses americana. Às vezes não. E até mesmo as americanas, com idade na etiqueta, não tem muita diferença entre as 0-3 meses e 3-6 meses.

Claro que, como já estava beirando à loucura, não tive paciência de empilhar as roupinhas para classificar os tamanhos de acordo com o real observado. Então, lembrei de um folhetinho muito fofo que ganhei na loja Tip Top com várias dicas de enxoval, inclusive uma tabela que explica cada tamanho.

Na verdade verdade verdadeira, sempre terá alguma diferença entre o tamanho real e o da etiqueta, maaaas facilita muito a vida para seguir as listas de enxoval. Por falar nestas listas, a Baby Center tem uma lista de enxoval para os bebês que nascerão no verão, outra para o frio e uma lista para preparar a mala para a maternidade. Gostei delas porque são mais objetivas!

Espero que facilite a vida de vocês, assim como facilitou a minha!!!

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

25 semanas: cansaço, feriado e meditação

Não sei quem inventou os feriados, mas talvez o objetivo desta pessoa tenha sido simplesmente o de homenagear a alguém ou a algo, mas, como bons seres carentes de dias de descanso, transformamos os feriados em dias para, ou descansar, ou para fazer tudo aquilo que você não consgeue fazer em dia de trabalho!

No final de semana antes do feriado, viajamos para Atibaia. Lá é um sonho para mim! Esse é o lugar ideal para descanso. Sol mesmo só vi no domingo. Mas independente de frio ou calor, só de ir para lá, recarrego as minhas baterias! Achamos melhor voltar na segunda-feira à noite para São Paulo. Pegamos um mega trânsito por causa de um caminhão tombado, mas prosseguimos pois queríamos passar na minha cunhada ainda na segunda. Então, a rotina do "dia de descanso" começou nas primeiras horas do dia, bem cansativa.

Chegamos segunda depois das 10 da noite na casa da minha cunhada e saímos de lá já na terça-feira. Comecei a cansar já daí! Na terça, não acordei muito cedo, mas assim que tomei café fui para a feira, e depois para o shopping encontrar as primas. Gente, cadê o fôlego??? Me acabei em um passeio inocente! Depois do shopping, já no final da tarde, fomos para um lugar que vende empanadas. Só de ficar sentada, no frio, meu cansaço triplicou. Alguém explica?!

Cheguei em casa com tontura de tanto cansaço. Sem frescuras. Realmente, quando deitei, tudo girou. Mas percebi que eu estava com um misto de agitação e cansaço. Uma amiga minha, a Claudinha, contou que durante a gravidez dela ela não se sentia bem em lugares com muitas pessoas. Parece que a energia é "sugada"! Fiquei até preocupada tentando perceber se estava tudo bem com o Pedro ou se eu ia ficar doente, porque até enjoada eu fiquei.

Deitei antes das dez, mas de fato, não sei a que horas consegui apagar. Acordei às 9am com vontade de fazer um dia diferente. Não quis sair da cama sem pensar em tudo o que queria fazer no dia. Sabe aquela sensação de que ficando na cama você pode parar o tempo? Pois então, a primeira coisa que pensei foi em atualizar o Blog e falar sobre isso.

Tenho em mim a crença de que Deus faz parte da minha vida. E acredito na oração como meio de me comunicar com Ele e na Bíblia, como meio de Ele falar comigo. Mas faz tempo que não dedico alguns minutos a esta atividade, que é o que quero fazer antes de deixar a cama. Também no trabalho minhas atividades estão um pouco atrasadas, mas isso só dá para consertar por lá mesmo, não aqui na cama! Mas quero anotar na agenda tudo o que preciso fazer hoje por lá, porque se não anoto, perco o foco em segundos. Também precisava colocar no papel tudo o que devo comprar para o chá de bebê e todos os detalhes dos preparativos.

Na realidade, aqui na cama mesmo, era só para atualizar o Blog para organizar as ideias na minha mente, orar e ler um trecho da Bíblia. Pedir a Deus direção para o dia de hoje e para que a semana curta de trabalho seja produtiva. Pedir proteção e agradecer tudo o que Ele tem feito por mim, desde o cuidado com o Pedro dentro da minha barriga (hoje fechamos a 25a semana), até o cuidado com as coisas básicas que ele precisa, e que tenho ganhado.

Desejo a vocês uma semana ótima! Que vocês consigam reservar tempo para pensar um pouco na vida, agradecendo pelo que tem e criando estratégias para conseguir o que quiserem e o que precisam, com tranquilidade!

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

A importância do relacionamento marido-mulher para o bebê


Atibaia - 10/10/10 - 25 semanas

Antes de engravidar, meu maior temor era como ficaria o meu relacionamento com meu marido. Sempre nos demos muito bem. Apesar de eu ser um pouco geniosa, ele é da paz! Não compra as minhas brigas, o que facilita muito para o relacionamento! Mas, mesmo ele sendo assim, temia que talvez eu mudasse com a gravidez e com a chegada do bebê. Espcialmente na questão de investir tempo para meu marido. Eu sei que a gente não faz o que não quer, mas no que diz respeito ao futuro, especialmente de grávida e mãe, situações que eu não conhecia, eu não sabia como julgar o meu comportamento.

Passados 6 meses de gravidez, posso dizer que tive vontade o suficiente para evitar alguns comportamentos que temia durante esta fase. Meu marido também colaborou bastante. Vejo que o principal foi a nossa preocupação em mantermos um relacionamento de marido e mulher saudável. Saudável, não estou dizendo perfeito! E ontem à noite comecei a ler o livro "Nana Nenê". Li o primeiro capítulo e fiquei muito interessada pois os autores começam falando da importância do relacionamento marido-mulher e do erro da criação auto-centrada na criança. Mas, ressalto, apenas li o primeiro capítulo! Vamos ver o que mais de bom este livro trará para mim. Atualizarei vocês por aqui!

Vou transcrever alguns trechos do primeiro capítulo abaixo. Aproveitem para refletir sobre o tema!

Dois perigos que ameaçam uma boa criação

" Existem dois perigos relacionados que ameaçam um processo bem-sucedido de criação dos filhos. O primeiro é não compreender corretamente a importância da relação marido-mulher nesse processo, e o segundo é o perigo da criação centrada nos filhos.
Acreditamos que o melhor conjunto possível de circunstâncias para a criação dos filhos inclui marido e mulher devotados um ao outro. A equipe marido-mulher é o modelo em que boa parte do material do livro se baseia. Entretanto, se você é mãe ou pai solteiro, ou se seu cônjuge está ausente da casa, não pressuponha que este livro não é para você. Sua obrigação como pai ou mãe pode ser mais difícil, mas os princípios apresentados neste e nos capítulos subsequentes são universalmente verdadeiros, e podem ser aplicados em todas as famílias." (trecho do capítulo 1, pp. 15 e 16)

Ideias para atingir o equilíbrio

1-Lembre-se de que a vida não para quando você tem um bebê. A vida pode desacelerar por algumas semanas, mas você continuará sendo filha, irmã, amiga ou esposa. Essas relações eram importantes antes do bebê nascer. Não se esqueça de mantê-las depois.

2-Namore seu cônjuge.
Se você costumava sair com o cônjuge uma noite por semana antes de o bebê nascer, retome o hábito assim que puder, deixando que amigos ou parentes cuidem do bebê. Uma criança não sofre com a separação quando mamãe sai com o papai. Se você não tinha uma noite de namoro semanal antes da chegada do bebê, comece agora. A saída não precisa ser cara, nem exige que se fique acordado até muito tarde.

3-Continuem a fazer um para o outro aquelas coisas especiais que faziam antes de os filhos entrarem em suas vidas.
Se vocês dois tinham antes uma atividade favorita que curtiam juntos, arrumem tempo para ela. Se o marido traz para casa um presente para o bebê, deve também trazer flores para a mulher. A ideia aqui é simples: continuem fazendo aqueles gestos afetuosos que até agora caracterizam seu relacionamento; conserve-o especial.

4-Convide os amigos para uma refeição ou para uma noite de convívio social em sua casa. Ao se concentrar nesses momentos de hospitalidade, você é forçado a se concentrar na casa. Essa distração é saudável, porque o obriga a planejar o dia do filho de forma que não perturbe o atendimento às outras pessoas.

5-Cultive a "hora do sofá". Ao terminar um dia de trabalho, arrumem 15 minutos para sentar no sofá como um casal. Isso deve acontecer quando as crianças ainda estiverem acordadas, e não depois de já terem ido para a cama. Explique a elas que interrupações desnecessárias não serão admitidas, porque é um momento especial para a mamãe e o papi ficarem juntos: " O papai vai brincar com a Chelsea depois, mas primeiro vai ficar com a mamãe." Esse momento no sofá proporciona uma expressão visual de sua união. Dessa forma tangível, a criança pode avaliar o relacionamento amoroso da mamãe e do papai e, assim, ter satisfeita essa necessidade interior. Além disso, esse tempo que se passa no sofá gera uma oportunidade regular para o casal partilhar as necessidades relacionais um com o outro.

(trecho adaptado do capítulo 1, pp 21 e 22)

Vale a pena ler, insisto! Mas claro, sempre com senso crítico, aproveitando ao máximo os princípios e, se necessário, adaptando à sua realidade. Uma amiga bem próxima leu, colocou em prática e o resultado foi exatamente a que o livro se popõe: a bebê acorda uma vez só durante a noite, a mãe sabe (na maior parte dos casos) qual a razão do choro. Ou seja, a bebê tem uma rotina bem estabelecida de alimentação, sono e de sujar a fralda!

Boa sorte a todas nós gestantes, mães e pais!


Atibaia - 10/10/10

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Atualização com selinho > "Mamãe Saudável"

Nunca postei selinhos! Apesar de Blogar já há algum tempo, não entendo muito destas coisas, mas, parece fácil!

Recebi este selinho da Taly (Mamãe de primeira viagem), e isto me trouxe algumas "lições de casa": além de indicar quatro amigas grávidas para postarem o selinho, preciso dizer quais atitudes tenho tomado em relação à minha saúde e à saúde do bebê e postar uma foto da barriga, recente.



Alternativas saudáveis - substituindo o medicamento

Como vocês já sabem, sou Bipolar e antes de engravidar tomava um remédio que é incompatível com o desenvolvimento do feto. Claro que parei de tomar este remédio, e esta foi a minha primeira atitude saudável em prol da gravidez! Mas, para levar uma gravidez tranquila, procurei alguns tratamentos alternativos e tenho usado Floral, homeopatia e aromaterapia. Diminui bastante o uso da aromaterapia (uso para conseguir dormir). Acho que tenho estado cansada o suficiente para simplesmente deitar na cama e apagar!!! Mas mantenho o uso do Floral. A homeopata passou um remédio manipulado específico para a minha "tolerância". Também parei de usar, já que estou me sentindo bem equiibrada ultimamente. Mas, qualquer coisa, ele fica na gaveta ao lado da cama!!!


"Mente sana, in corpore sano!"

Na gravidez, não basta a mente saudável, o corpo também precisa estar completamente em dia com a saúde! Por isso, além de passar em consulta pré-natal todo mês, e tomar o polivitamínico indicado pela obstetra eu também faço Pilates 2x por semana e comecei a caminhar. Na última consulta a dra. Silvia me deu um leve puxão de orelha! Disse que eu já engordei a mais do que o que ela esperava! Em 6 meses, engordei 8Kg! Nada de mais para quem era beeeem magrinha, mas, em prol do Pedrinho que vem aí, precisei adotar um novo hábito, a caminha, para gastar as calorias a mais. Confesso que só caminhei uma vez semana passada, e ainda não caminhei de novo. Acontece que tive uma cãimbra fenomenal na terça passada que deixou minha perna dolorida até hoje. Fiquei horrorizada com a dor. Mas, hoje já percebi melhora, então, amanhã tenho pilates e na quarta, caminharei.


Estômago saciado, Pedrinho vitaminado!

A obstetra não pediu para diminuir a ingesta alimentar ou fazer alguma dieta específica. Então, manetenho meus hábitos alimentares: procuro comer frutas, iogurtes e pão pela manhã; faço sempre um prato bem colorido no almoço; lancho à tarde, geralmente duas torradas de pão de forma com geléia ou patê; e "vou com calma" na janta! Tomo bastante água e sempre que posso, tomo suco de frutas naturais. Assim, fico satisfeita e o Pedrinho consegue todas as vitaminas que precisa para crescer saudável!



24 semanas - escadaria da Sé

Indicações ao selinho

Maya > http://nos2emais.blogspot.com
Danila > http://infanciaibitita.blogspot.com
Cinderela > http://cinderelabipolar.blogspot.com
Debs > http://runningmammy.blogspot.com

*Meninas, façam o mesmo! Peguem o selinho, postem a foto com a semana, contem como estão mantendo a saúde de vocês e a dos bebês e indiquem mais 4 amigas para receber o selinho!


segunda-feira, 27 de setembro de 2010

A barriga de 6 meses

A barriga no caminho

Estou com dó do meu marido: cheguei na fase em que a barriga já está grande o suficiente para que o abaixar fique incômodo, mas não grande o bastante para comover! Então, é um tal de "J, pega isso!","J, pega aquilo!" o tempo todo. Ele não se importa muito, mas deve ser um saco!

Só assim mesmo para eu perceber que a maioria das coisas que quero estão na altura da minha cintura para baixo. Inclusive, as minhas calças que ficavam na última gaveta, agora foram promovidas para a prateleira do armário, enquanto as bermudas do meu marido, foram lá pra baixo. Marido sofre!


A barriga invisível

Apesar de parecer que a barriga está atrapalhando (Nada pessoal, viu, Pedrinho?!), já estou "ignorando" ela em algumas situações (Novamente, não liga não, Pedro!!!)! Um dia meu marido queria entrar no banho e eu estava no cantinho do chuveiro, achando que tinha liberado espaço pra ele, quando ele reclamou que eu estava embaixo d'água. Nem percebi! Ele que me alertou: " Olha a barriga na ducha!!!". Eu estava com a barriga interia embaixo do chuveiro!!!

E olha que eu tinha achado bem estranho quando a minha cunhada me contou que queimou a barriga no fogão, aos 8 meses, porque "esqueceu" dela! Agora entendo perfeitamente!!! Que perigo!


A barriga Alien

Outro fato engraçado de ter um bebê na barriga é quando ele se mexe. Essa sensação é fantástica, e só passando por ela para entender a emoção que causa. Mas chega uma fase, e estou iniciando nela, que o bebê já tem tamanho o suficiente para acertar as costelas, o diafragma e a bexiga. Não sei se de fato ele alcança estes últimos dois, mas hoje mesmo senti umas pontadas bem dignas de Alien dentro de mim, parecendo ser no diafragma! Fora que estes movimentos começam a ficar cada vez mais perceptíveis externamente!!! Alien total!!!


A barriga confrome a música

Sexta-feira fui no casamento de uma amiga. Na igreja tocou uma orquestra com um coral. Lindo demais! Nos momentos das notas mais fortes, mais longas e mais impactantes, o Pedro respondia, com educação, com um chute ou soco suave! Já na festa, a banda estava tocando bem alto e os graves estavam bem evidentes. Não sei se o Pedro não gostou, mas a cada nota forte do contrabaixo, ele dava um pontapé igualmente forte, como que dizendo: "Pede pra esse cara tocar mais baixo, pô!".


Independente dos incômodos e dores, ser gestante é mágico, é apaixonante, é um milagre! E a cada sensação nova, o meu amor pelo Pedro aumenta mais ainda!




foto: Detalhe também nada glamuroso da gravidez: o cansaço estampado no rosto!!!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Penúltimos preparativos e dicas para lista de presentes do chá de bebê

Finalmente compramos o berço! Quer dizer, consegui convencer a minha mãe, que deu o berço e a cômoda, a comprá-los logo. Ela disse que o berço que eu usei foi comprado um dia antes do meu irmão mais velho nascer. Não porque ela esqueceu, mas porque ela quis assim. Achou melhor! Uma coisa que não herdei dela foi isso!!! Quero tudo para ontem! De lambuja, ganhamos a bolsa. Escolhi uma bolsa cinza e vermelho, que facilmente usarei depois que o Pedro crescer com meu note e as minhas tralhas!

E como não herdei a tranquilidade da minha mãe, logicamente fiquei uns 3 dias namorando a bolsa. Ela não saía do chão, ao meu lado da cama. A irmã da minha vizinha, que também está grávida, veio visitá-la e lá fui eu com a bolsa e algumas roupinhas dentro para mostrar para ela e para o marido!

Ah! Como grávida fica boba! Eu já arrumei as roupinhas para ir para a maternidade umas 2 vezes. Mas ainda não lavei nada (o tempo esfriou assim que comprei o sabão líquido). Vira e mexe eu abro a gaveta, pego as roupinhas e fico babando nelas, antes mesmo do Pedro ter esta oportunidade!!! E o pior, confesso aqui publicamente que já arrumei a minha necessaire para ir para a maternidade!!! Só não arrumei a minha bolsa porque preciso comprar as camisolas, calçolões e sutiãs de amamentação. Mas assim que comprar, taco na bolsa e coloco na sala!!!

Apesar de tanta ansiedade, reservei o salão para o chá só ontem. Mas acho que está no prazo. Marquei para dia 6 de novembro (estarei com 28 semanas). E fiquei ontem até quase meia-noite fazendo os papéizinhos no computador com os presentes. Eita tarefa difícil! É complicado pedir presentes. Mas ajuda muito. A dica que dou é separar os presentes e convidados em categorias.Para quem não quer pedir só fralda, este esquema facilita pois não sobrecarrega ninguém. Como já ganhei muita roupinha, acabei pedindo os produtos de higiene (que são baratinhos) e outros acessórios mais caros.

Olha só a lista (alguns itens com uma ideia de preço ao lado):

Acessórios
frasqueira térmica para mamadeira (17,90-137,00)
termômetro digital (30,00)
garrafa térmica pequena de apertar (verde claro ou branca)
bomba extratora de leite ("tira leite") (14,90-200,00)
tela protetora solar para carro (11,90-50,00)
conjunto de mamadeira com bico ortodôntico BPA free
massageador de gengiva (2,90-7,90)
mordedor (2,90-13,90)

Hora do sono
Posicionador para dormir (12,90-70)
Cobertor (20,00-40,00)
Manta (9,90-...)
Jogo de lençol para berço (19,90-140,00)
Jogo de lençol para carrinho (19,90-33,00)
Travesseiro anti-sufocante (4,10-12,90)
Travesseiro anti-refluxo (34,00-40,00)
Fronha extra (5,90)
Saco de dormir ("porta bebê") (19,90-35,00)

Roupinhas
Calça (culote/mijão) P verde claro e azul claro
Calça (culote/mijão) M verde claro e azul claro
Babadores
Meias
Luvinhas

Higiene
Toalha com capuz (15,00-40,00)
Lenço umidecido
Algodão
Cotonete
Fita crepe
Creme para assadura
Sabonete Johnson regular em barra
Shampoo Johnson cabeça aos pés
Loção higienizadora Johnson
Colônia Johnson
Óleo Johnson
Pomada para seios
Absorvente para os seios (cx c/ 24)
Saboneteira
Kit toalha de boca
Kit fralda (para secar o bebê)
Kit pente e escova
Aspirador nasal
Lixeira

Adendos dos comentários!
Conchas de amamentaçao (para ajudar a formar o bico e facilitar a pega)
Mais importante que o bicoortodontico, a mamadeira tem quer ser livre de bisfenol A, essas vem com um selo na embalagem escrito BPA free
Tesoura de cortar unha
Tummy tub (se vc assinar o www.clubedobrinquedo.com.br eles alugam para vc, dentro do preço normal de aluguel mensal dos brinquedos)
Banheira com trocador - quando o bebê é maiorzinho e se mexe mais costuma ser mais facil do que outras alternatvas (a banheira eu não coloquei na lista pois vou comprar exatamente a com trocador!)


Então, separei os presentes em categorias. Também pedi fraldas. Conjuguei as fraldas P com itens mais baratos como toalha de boca, meia e pomadas. Os presentes mais caros conjuguei com cotonete, algodão e lenço umidecido, que pedi um com o pote e o resto, embalagem refil. Já tenho um pote em casa. Dois potes são suficientes, pois um fica em casa e outro na bolsa. Pensando sempre no meio-ambiente!

Bem próximo da minha casa tem uma loja chamada Mundo Baby. É uma loja pequena com atendimento e preços ótimos! Vou até indicar a loja no convite pois comparando os preços de lá com lojas de shopping a variação é enorme. E esta loja fica aberta até às 17h de sábado, então, as minhas convidadas que quiserem comprar lá, poderão fazê-lo a caminho do chá. Praticidade e economia!

Resolvi pedir as fraldas M sem nada acompanhando pois na maioria das vezes compramos na farmácia (no caso de chá de bebê) e o tamanho M é um pouco caro.

Minha lista não é muito completa, mas no Blog Fraldas e Guitarras, a Thais fez vários posts sobre o assunto muito bons. É só buscar usando a palavra-chave "enxoval". Inclusive, me baseei neles para montar o enxoval do Pedro. Ela tem um post onde revisou todos os itens da lista dizendo o que valeu ter comprado, o que faltou ter comprado e o que não precisaria ter comprado ("Revisando o enxoval do Paul") e também tem um post com a lista de enxoval para bebês que vão nascer no frio. Com bom senso, dá para adaptar para o calor. Eu reduzi em muito a quantidade de roupinhas, afinal, o Pedro nascerá no verãozão!!! Depois faço uma lista como a da Thais, revisando o enxoval.

Estou devendo um monte de fotos! Mas a máquina que comprei na Americanas.com não chegou. Enviaram um livro no lugar, por engano...Afff!

Se vocês tiverem dicas sobre o chá, especialmente sobre as brincadeiras, e também sobre a lista de presentes, coloquem nos comentários! Agradeço! Convenhamos, um chá de bebê mal conduzido vira um tédio!!!

Dicas de brincadeiras/lembrancinhas (das seguidoras!)

1- Dificultar o embrulho para a pobre coitada da gestante não advinhar o que é e ter que pagar um castigo (maldade!!!)
2- Escolher um nome para a gestante na hora da brncadeira, e quem errar, paga um castigo (Aí sim!!!)
3- Lembracinha do chá: uma mudinha de árvore

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Só pra garantir, continuo de alta!!!

Ontem, dei um pulinho na minha psicóloga! Tive alta já há mais de 2 anos, mas achei que seria bom passar lá, já que estou sem medicamento, apesar de estar me sentindo super bem. Just in case!!! E, aproveitar para matar as saudades dela, que é uma pessoa muito querida!

Cheguei lá para conversar sobre essa mudança de rumo da minha vida: Pedro e jornalismo. Queria ter certeza de que estou pensando da maneira correta e que não é loucura essa história de mudar de área. A minha psicóloga fez uma cara de "inconformada", não pelo assunto, mas porque eu fazia os questionamentos e dava as respostas!!! A cara dela foi de inconformada satisfeita, claro!

Achei engraçado e fiquei orgulhosa! Ela só falou coisas que eu já sabia! Isso que dá ser uma boa profissional: ela me ensinou direitinho a me questionar e a perceber os sinais de quando não estou bem, e agora, não preciso mais dela!!! Ela me elogiou e disse que, realmente, nesses 2 anos que se passaram, me tornei uma pessoa mais segura! Delícia ouvir isso!

Me lembrei da Manu do Blog Atelie Manuela Nunes. Ela disse que eu não precisava de terapia. Acertou! No final, essa visita serviu apenas para mostrar para mim e para a minha psicóloga que terapia funciona mesmo e que a alta é possível!!!